Singral Cimeiro - Campelo (Figueiró dos Vinhos) - (Latitude 40.0408) (Longitude 8.23927) Altitude 673 Mts. -

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Alge 2017 e o seu almoço tradicional a encerrar os festejos

                                                            Em Alge:

O almoço tradicional de encerramento dos festejos e passagem de testemunho para os mordomos do ano que vem,decorreu com grande afluência  e primou com um esmerado serviço de "catering" onde desde já assinalamos uma  inovação no que toca à sobremesa ,um espectacular gelado envolvido numa fina folha de baunilha que fez as delícias dos presentes,parabéns a quem tomou a iniciativa.
As presenças neste fantástico almoço tinham as mais variadas origens,desde amigos, simpatizantes,naturais da terra e até as figuras vivas da região,incluindo autarcas,todos unidos nas mais variadas cavaqueiras em redor de um interesse comum que era a degustação.
Foram também muitos os voluntários/as que se predispuseram a ajudar os mordomos na montagem da "sala" de almoço, assim como a servir à mesa,mais para o final quando já a digestão estava a anunciar o seu início, e os clássicos digestivos iam sendo sorvidos ,assistiu-se a um espectáculo improvisado com acordeão e percussão ao seu mais alto nível.No resto do dia houve a habitual dispersão e continuação de tertúlias em várias casas do lugar.Em suma o evento decorreu com grande sucesso e muito trabalho.



















domingo, 6 de agosto de 2017

O renascimento da festa anual em Campelo (Continuação)

Hoje Domingo, o evento continuou e com grande afluência,deixo-vos aqui algumas fotos no período respeitante às cerimónias religiosas.









sábado, 5 de agosto de 2017

O renascimento da festa anual em Campelo

Após um longo interregno na execução da festa anual em Campelo,hoje reapareceu, e com grande afluência.
Amanhã continuará ,quiçá com mais gente ainda.




sexta-feira, 14 de julho de 2017

A grelhada mista de peixe


Do Singral a Figueiró dos Vinhos por estrada, são aproximadamente 27 Km e como se trata da capital do Concelho sempre tivemos a tendência natural de lá nos deslocar-mos para compras e não só,ainda que Castanheira de Pera se faça em apenas 15 Km nem sempre lá encontramos o que necessitamos Figueiró sempre tem mais potencial, mas ainda assim insuficiente. Acontece que "descobri" mais recentemente que se optar por um percurso mais pitoresco e sinuoso, com os mesmos 27 Km chego a Miranda do Corvo,e então ? dirão vocês,bom, o facto é que se sente muito mais vida e dinamismo empresarial,o famoso mercado das quartas feiras bem o demonstra,assim como a profusão de lojas com todo o tipo de bens. Ontem mesmo lá estive em companhia da cara metade e da inseparável mascote , na busca de um artigo que não se encontrava nas redondezas, e eis que começámos a sentir fome devido ao adiantado da hora mais uma vez atrasados e sem planos para o jantar,resolvemos arriscar e comer fora...e onde vamos? pergunto eu à D.da casa não conhecemos aqui nada para além da" Parreirinha" e se calhar não vão ter peixe a esta hora,ainda assim fizemos um telefonema o que veio a confirmar-se a impossibilidade de servir peixe,foi pena porque gostamos de lá ir,mas a dieta impunha-se.
Eis então que surge uma nova odisseia,socorrendo-nos das novas tecnologias indagámos o Sr. Google por restaurantes locais e eis que surge um nome atractivo "Estação de Sabores" tinha uma lista interessante de várias opções entre as quais pratos de peixe,vamos arriscar...com tanto azar que temos tido ultimamente em matéria de restaurantes... e agora? onde fica isso? como não conhecemos a vila, decidimos telefonar ao próprio a pedir informação,e eis que fomos agradavelmente atendidos e mantendo-se em linha enquanto nos deslocava-mos lá nos indicaram o sítio certo . Com uma postura algo cautelosa,entrámos, o aspecto e o local em si agradou-nos,logo um simpático jovem emanando algum dinamismo na sua forma de se movimentar nos veio saudar e sugerir uma mesa,após um breve olhar na ementa verificámos que havia o que pretendia-mos.Assim, foi uma grelhada de peixe,pão, azeitonas,manteiga,
cinco imperiais bem fresquinhas, uma tábua de queijos e dois cafés com atendimento célere e interessado,instalações sanitárias limpas e asseadas e até com água quente no lavatório,gostámos e pensamos voltar,tudo isto por 26,90 € !
DESTA VEZ TIVEMOS SORTE! Recomenda-se.

terça-feira, 11 de julho de 2017

Comandante de bombeiros sem tempo para se dedicar à causa.


sexta9Leu este comunicado do CODIS de Leiria?
senhor comandante - não não tive oportunidade de ver...
sexta9 - Porque é que não leu ?
senhor comandante - não li porque não tive tempo, hé, porque a minha actividade não é bombeiro,não é ...eu sou instrutor de condução...

Intempérie no facebook provoca inundações de informação inadequada

Para aqueles que não se vincularam ao "Facebook" vou mantendo neste humilde blog algumas dissertações que me ocorrem de quando em vez,e até os duplico para os "feissebuquianos" .Desta vez refiro-me aos devaneios "jornalísticos " que proliferam na dita rede social sobre as ajudas de pseudo- voluntários aos afectados pelo fogo que grassou na Freguesia. Encontrei este texto ,que passo a reproduzir logo abaixo,

Ao ler este "artigo" senti necessidade de inquirir o Município se confirmava o que aqui se dizia (através do facebook) e recebi a seguinte resposta, "Boa tarde!
Envio-lhe o seguinte esclarecimento partilhado hoje por este município na página oficial do facebook: "Face à diversa desinformação e relatos graves que não correspondem à verdade veiculados nas redes sociais e que, de uma forma abusiva e infundada, tentam pôr em causa o trabalho de tantas instituições e a preciosa ajuda de centenas de voluntários que tanta solidariedade têm demonstrado, o Município de Figueiró dos Vinhos vem por este meio esclarecer que, em resultado da grande tragédia que assolou o nosso território no âmbito dos incêndios florestais do passado mês de junho, foram identificadas pela Segurança Social, Câmara Municipal e outras entidades, todas as populações com situações de perdas totais e parciais de bens, quer de habitação quer de todos os bens essenciais. A todas essas populações têm sido fornecidos bens alimentares, de higiene pessoal e de primeira necessidade, entre outros. Diariamente encontram-se equipas do Município de Figueiró dos Vinhos no terreno, acompanhadas por técnicos e voluntários de diversas instituições, para continuar a prestar toda a ajuda e assistência que for necessária, identificar e suprir novas necessidades que venham a ser assinaladas. Para que se dissipem dúvidas e se canalizem energias para o que realmente é importante, o Município de Figueiró dos Vinhos convida todas as pessoas que, de uma forma séria, queiram prestar o seu apoio a juntarem-se a nós e, junto das pessoas, contribuírem efetivamente para minimizar o sofrimento de tanta gente. Solicitamos, ainda que, situações que sejam identificadas e à qual seja necessário prestar apoio mais imediato, nos sejam reportadas para: Tel.236 552 315 / 913 900 554 e/ou accaosocial@cm-figueirodosvinhos.pt. Contamos com o contributo VÁLIDO de todos!" Os nossos melhores cumprimentos."
Obs: Só não percebo porque razão estes assuntos não são divulgados na página oficial do Município ( www.cm-figueirodosvinhos.pt/) ,desta vez apareceu,e até parece que ficaram sensíveis à minha sugestão.

O futuro da floresta...


Castanheira de Pera aos Domingos...

Castanheira de Pera tem que rejuvenescer das cinzas, e para isso uma parte importante dessa ajuda,é o turismo, mas os turistas que visitam locais como este na sua maioria talvez não tenham necessidade de horários rígidos para tudo e mais alguma coisa...pois isso é o que acontece no dia a dia do trabalho,uma vila bonita e simpática com a sua já famosa Praia das rocas...mas e depois? Fim de semana e também época de férias para muitos, e a restauração nestas paragens resume-se a pequenos estabelecimentos abertos sem predisposição para servir comida a quem a procura fora de horas "convencionais", "O GIL" um dos mais movimentados da zona, fecha aos domingos, "O Cortiço" a mesma coisa, a churrasqueira "Albino" só assa frangos no período convencional de almoço, e depois fecha as portas, a "Castanheirense" encerrada,não sabemos se pelos motivos inerentes ao falecimento do seu responsável ou se pelo contrário seria dia de folga, outro fechado para alugar...enfim eram cerca das 15 horas(domingo 9/7/2017) queria-mos comer algo porque numa ronda que fizemos atrasa-mo-nos para a dita hora convencional, acabámos por entrar no "Casmel" pois tinha um cartaz no passeio a dizer "Servimos refeições" na esperança que finalmente iria-mos saciar a fome ,perguntei ao balcão o que tinham para comer...resposta imediata de uma jovem do outro lado do balcão "já não há nada" ...insisti perguntando, "nada mesmo" ? numa aparente tentativa de reconsiderar a sua resposta essa jovem mergulhou no espaço da cozinha e após uma curta ausência , no regresso disse-me que afinal ainda havia arroz de tomate com solha frita,disse-lhe que servia perfeitamente, a sala estava animada ainda com muita gente a "refeicionar" realço o facto de sempre estar patente por parte de quem atendia uma espécie de hesitação no atendimento,referi em tom de crítica que se calhar teria que ir comer qualquer coisa a Lisboa...ouve-se uma voz de trás do balcão, "se calhar é melhor"...esta hospitalidade e simpatia rapidamente me desmobilizou,mas ainda assim perguntei se podia-mos comer nas mesas da esplanada porque estava-mos acompanhados da nossa mascote,que não! teria que ser no interior! abandonei o local em direcção ao carro para procurar outra solução,mas a esposa que continuava sentada na esplanada aguardando o desenrolar dos acontecimentos acabou por ser informada pela responsável do estabelecimento que ainda serviam, mas tinha que ser já! pois já é tarde! no meio de todos estes mimos,acabamos por desistir recomendando que afixassem no cartaz o horário dos comes...acabámos por nos dirigir ao Poço Corga e no prazenteiro "Pífaro" comeu-se uma bifana com muito cuidado para não partir a prótese bebeu-se uma cerveja um pacotinho de batata frita e pusemo-nos a caminho de casa para confecionar qualquer coisa mais substancial.Lamento e entristece-me que em Castanheira de Pera os profissionais da restauração não olhem para o turismo de uma forma mais acolhedora e sem horários tão rígidos, pois a oferta nesta área parece-me bastante pobre para atrair quem está em fase de ócio e horários descomplicados,e para terminar este meu desabafo acrescento que não fomos os únicos a ser-mos surpreendidos com este estado de coisas porque nos cruzamos com mais "people" à procura do mesmo...