Singral Cimeiro - Campelo (Figueiró dos Vinhos) - (Latitude 40.0408) (Longitude 8.23927) Altitude 673 Mts. -

sábado, 28 de junho de 2014

O acordo ortográfico e o futuro da língua portuguesa

  Um dia destes dei por mim a ler este artigo o qual me encheu as medidas,ou não seja eu contra o acordo ortográfico,sim porque ,escrever correctamente o português já é uma tarefa difícil quanto mais com estes absurdos acordos e nem sempre o consigo fazer, aqui e acolá lá vão aparecendo uns erros mas digo-vos que tento o meu melhor e sempre utilizo o dicionário quando me afloram dúvidas,mas este texto que reproduzo mais abaixo retirado do blog "Portugalglorioso" é divinal! vale a pena gastar uns minutos e ler.

 "O acordo ortográfico e o futuro da língua portuguesa


Tem-se falado muito do Acordo Ortográfico e da necessidade de a língua evoluir no sentido da simplificação, eliminando letras desnecessárias e acompanhando a forma como as pessoas realmente falam. 
Sempre combati o dito Acordo mas, pensando bem, até começo a pensar que este peca por defeito. Acho que toda a escrita deveria ser repensada, tornando-a mais moderna, mais simples, mais fácil de aprender pelos estrangeiros.

Comecemos pelas consoantes mudas: deviam ser todas eliminadas.
É um fato que não se pronunciam .
Se não se pronunciam, porque ão-de escrever-se?
O que estão lá a fazer?
Aliás, o qe estão lá a fazer?
Defendo qe todas as letras qe não se pronunciam devem ser, pura e simplesmente, eliminadas da escrita já qe não existem na oralidade.

Outra complicação decorre da leitura igual qe se faz de letras diferentes e das leituras diferentes qe pode ter a mesma letra.
Porqe é qe “assunção” se escreve com “ç” e “ascensão” se escreve com “s” ?
Seria muito mais fácil para as nossas crianças atribuír um som único a cada letra até porqe, quando aprendem o alfabeto, lhes atribuem um único nome. Além disso, os teclados portugueses deixariam de ser diferentes se eliminássemos liminarmente o “ç” .

Por isso, proponho qe o próximo acordo ortográfico elimine o “ç” e o substitua por um simples “s” o qual passaria a ter um único som. Como consequência, também os “ss” deixariam de ser nesesários já qe um “s” se pasará a ler sempre e apenas “s”.

Esta é uma enorme simplificasão com amplas consequências económicas, designadamente ao nível da redusão do número de carateres a uzar. Claro, “uzar”, é isso mesmo, se o “s” pasar a ter sempre o som de “s” o som “z” pasará a ser sempre reprezentado por um “z”. Simples não é? se o som é “s”, escreve-se sempre com s. Se o som é “z” escreve-se sempre com “z”.

Quanto ao “c” (que se diz “cê” mas qe, na maior parte dos casos, tem valor de “q”) pode, com vantagem, ser substituído pelo “q”. Sou patriota e defendo a língua portugueza, não qonqordo qom a introdusão de letras estrangeiras. Nadade “k”. Ponha um q.

Não pensem qe me esqesi do som “ch”. O som “ch” será reprezentado pela letra “x”. Alguém dix “csix” para dezinar o “x”? Ninguém, pois não? O “x” xama-se “xis”. Poix é iso mexmo qe fiqa.

Qomo podem ver, já eliminámox o “c”, o “h”, o “p” e o “u” inúteix, a tripla leitura da letra “s” e também a tripla leitura da letra “x”. Reparem qomo, gradualmente, a exqrita se torna menox eqívoca, maix fluida, maix qursiva, maix expontânea, maix simplex. Não, não leiam “simpléqs”, leiam simplex. O som “qs” pasa a ser exqrito “qs” u qe é muito maix qonforme à leitura natural.

No entanto, ax mudansax na ortografia podem ainda ir maix longe, melhorar qonsideravelmente. Vejamox o qaso do som “j”. Umax vezex excrevemox exte som qom “j” outrax vezex qom “g”- ixtu é lójiqu? Para qê qomplicar ?!? Se uzarmox sempre o “j” para o som “j” não presizamox do “u” a segir à letra “g” poix exta terá, sempre, o som “g” e nunqa o som “j”. Serto? Maix uma letra mud a qe eliminamox.

É impresionante a quantidade de ambivalênsiax e de letras inuteix qe a língua portugesa tem! Uma língua qe tem pretensõex a ser a qinta língua maix falada do planeta, qomo pode impôr-se qom tantax qompliqasõex? Qomo pode expalhar-se pelo mundo, qomo póde tornar-se realmente impurtante se não aqompanha a evolusão natural da oralidade?

Outro problema é o dox asentox. Ox asentox só qompliqam! Se qada vogal tiver sempre o mexmo som, ox asentox tornam-se dexnesesáriox. A qextão a qoloqar é: á alternativa? Se não ouver alternativa, pasiênsia. É o qazo da letra “a”. Umax vezex lê-se “á”, aberto, outrax vezex lê-se “â”, fexado. Nada a fazer. Max, em outrox qazos, á alternativax. Vejamox o “o”: umax vezex lê-se “ó”, outrax lê-se “u” e outrax, lê-se “ô”. Seria tão maix fásil se aqabásemox qom isso!

qe é qe temux o “u”? Se u som “u” pasar a ser sempre reprezentado pela letra “u” fiqa tudo tão maix fásil! Pur seu lado, u “o” pasa a suar sempre “ó”, tornandu até dexnesesáriu u asentu. Já nu qazu da letra “e”, também pudemux fazer alguma qoiza: quandu soa “é”, abertu, pudemux usar u “e”. U mexmu para u som “ê”. Max quandu u “e” se lê “i”, deverá ser subxtituídu pelu “i”. I naqelex qazux em qe u “e” se lê “â” deve ser subxtituidu pelu “a”.

Sempre. Simplex i sem qompliqasõex.
Pudemux ainda melhurar maix alguma qoiza: eliminamux u “til” subxtituindu, nus ditongux, “ão” pur “aum”, “ães” – ou melhor “ãix” - pur “ainx” i “õix” pur “oinx” . Ixtu até satixfax aqeles xatux purixtax da língua qe goxtaum tantu de arqaíxmux.

Pensu qe ainda puderiamux prupor maix algumax melhuriax max parese-me qe exte breve ezersísiu já e sufisiente para todux perseberem qomu a simplifiqasaum i a aprosimasaum da ortografia à oralidade so pode trazer vantajainx qompetitivax para a língua purtugeza i para a sua aixpansaum nu mundu.

Será qe algum dia xegaremux a exta perfaisaum? "
Fonte: Texto retirado de http://portugalglorioso.blogspot.pt/2012/11/acordo-ortografico-no-seu-melhor.html

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Foco de incêndio nas proximidades de Fontão Fundeiro

Hoje cerca das 13 horas ,avistámos um foco de incêndio na Freguesia , pelo que observámos foi prontamente combatido,desconhecemos mais pormenores.




Estrada do Singral foi premiada com limpeza das bermas.

Na continuação de um excelente desempenho da actual gestão da Junta de Freguesia de Campelo, registámos com agrado a presença de uma equipa de funcionários a proceder à limpeza das bermas da estrada Municipal Nº 1124 que liga Alge à povoação de Singral Cimeiro.


Portugal Telecom (Telecome?) ao seu mais alto nível.


Como os habituais leitores deste mural já devem ter reparado,no passado dia 3 de Junho foi implantada uma cabine pública em Campelo mas ao que parece, não se tratou de providenciar meios de comunicação para uma eventual necessidade, mas apenas uma operação de maquilhagem... sim porque ainda hoje se formos tentar telefonar através deste equipamento, verificará que não consegue fazê-lo e arrisca-se a ficar sem as moedas como já aconteceu com alguns de nós,no entanto há indicação que faz chamadas de emergência...só não testámos esta opção para não utilizar-mos o serviço indevidamente.
Segundo fontes bem informadas esta instalação apenas serviu para cumprir um normativo que obriga a PT a prestar este tipo de serviço nas zonas mais desfavorecidas, e esta ?.Já não basta o abandono e a perfeita bandalheira da PT com as suas infraestruturas aqui na Freguesia, que nem os telefones dos assinantes privados funcionam quando é preciso... quando há uma avaria (são inúmeras) logo se desloca um piquete de assistência e no decurso da reparação de um telefone logo ficam outros fora de serviço...estas situações repetem-se com uma escandalosa cadência! será que os chamados "empreiteiros" ao serviço da PT recebem à deslocação? o desespero e indignação  dos utentes de telefone PT nesta zona é quase endémico e dramático,pois a falta de alternativas obriga-nos a esta subserviência não temos redes GSM com cobertura decente,apenas a Vodafone está fazendo algo na Freguesia, mas com custos associados aos interessados,não temos serviço de Internet e quando há é deficiente,enfim até já tivemos que contratar serviço de Internet por satélite a uma empresa estrangeira,é este o panorama na freguesia de Campelo no que toca às novas tecnologias,mas que também afecta uma boa parte do Concelho.
Aqui fica o nosso desabafo,porque ,quem sabe um dia destes o Sr. Granadeiro poderá por engano  tropeçar neste humilde mural,e pode ser que seja acossado de algum sentimento de culpa e vergonha.

sábado, 21 de junho de 2014

Santo António da Neve-2014

No antigo Cabeço do Pereiro (Serra da Lousã), ergue-se a Capela de Santo António da Neve em honra de Santo António de Lisboa, mandada construir por Julião Pereira de Castro, neveiro–mor da casa real, passando assim o local a chamar-se Santo António da Neve. Durante anos, esta capela esteve nas mãos de particulares, mas em 1954 foi adquirida pela Câmara Municipal de Castanheira de Pera e ficou na posse da Junta de Freguesia do Coentral. A capela encontra-se classificada como Imóvel de Interesse Público desde 1986.

É assim todos os anos em junho no domingo a seguir ao dia 13 ,que se realiza uma cerimónia religiosa na Capela de St.António da Neve, provocando a afluência de inúmeros devotos, assim como "piqueniqueiros".Já a algum tempo que não íamos lá, e este domingo juntá-mo-nos aos demais.
Fiquei particularmente surpreendido com a profusão de vendedores ambulantes, que lá iam apregoando os seus produtos,até recorrendo a equipamento sonoro, havia um pouco de tudo,desde os célebres cobertores e edredons aos artigos de calçado e roupas de marca...mas para além de tudo, é justo reconhecer que o evento consegue catalisar o interesse das pessoas e fazer com que o convívio entre todos se estabeleça de uma forma sã e descontraída.
Pena é, no meu entender,que alguns dos presentes em desfavor da essência do encontro,teimem em deixar os seus carros entulhando a via por onde é sabido decorrer a passagem da Procissão, transformando essa solenidade numa espécie de gincana em redor das viaturas . 






Enquanto alguns dormiam a sesta ,aproveitei para dar uma caminhada acompanhado da inseparável "Lady" e percorri a zona mais alta onde se encontra a célebre vigia florestal (42.1) e a pista das avionetas que outrora a usavam para se abastecer de água quando os fogos assolavam zonas limítrofes.

Enfim, foram uns belos momentos de laser para descomprimir um pouco o estado de espírito ,desfrutando de um espaço serrano majestoso ,mas já com acentuados sinais de invasão intensa de visitantes, a meu ver fazia falta alguns pontos de recolha de lixo para facilitar a vida daqueles que não o querem deitar para o chão.


Os meus agradecimentos a todo o grupo que pelo convite nos proporcionaram um Domingo excepcional.

Foi em 1953 que...

...foi edificado o urinol público em Castanheira de Pera que ainda hoje tão bom serviço presta à população.




sábado, 14 de junho de 2014

Cadernos da Libânia: OS NOSSOS AMIGOS CHINESES

Cadernos da Libânia: OS NOSSOS AMIGOS CHINESES: pluma caprichosa OS NOSSOS AMIGOS CHINESES   A venda dos jornais e dos jornalistas independentes será a última pazada de terra na sep...

domingo, 8 de junho de 2014

Famel-Zundapp um verdadeiro histórico.

Espécimen raro e já com importância de colecção foi avistado no Singral.

                         (    Um triciclo Famel com motor Zundapp )



A FAMEL foi das maiores empresas de motorizadas em Portugal.
Produziu o que de melhor havia no sector das duas rodas e durante as décadas de 60, 70 e 80 ditou regras e bateu top's de vendas.
As suas instalações ainda permanecem de pé na Estrada Nacional 1 na entrada de Mourisca do Vouga, para quem segue de Águeda. É angustiante o estado de degradação, lembrando mesmo os cenários de guerra que por vezes passam na televisão...
No inicio dos anos 90 e após a entrada de Portugal na UE, e com a forte concorrência internacional e a falta de capacidade dos seus gestores para se adaptarem ás investidas dos Nipónicos, Italianos e até Espanhóis, fomentou-se na empresa uma crise nunca antes sentida. Como se tal não bastasse, a Zundapp também teve fortes problemas económicos que ditaram praticamente o seu fim e que, assim deixaram a FAMEL sem propulsores.
Não existia em Portugal além da Casal que também enfrentava sérios problemas mais nenhum fabricante de motores. E também não houve habilidade nem garantias (penso eu…) para os procurar além fronteiras.
Nos inícios dos anos 90 e com a forte quebra nas vendas a FAMEL começou lentamente a despedir os seus colaboradores.
A ajudar esteve também o Estado Português, que complicou a obtenção das licenças de condução para 50 cm3 e incentivou a Carta de condução de modelos com motor de 125 cm3. Foi a machadada final nas 50’s Portuguesas.

Em 2002 e depois de muitos processos em tribunal, a empresa acabou por declarar falência.
Da FAMEL dependeram milhares de pessoas directa ou indirectamente, sendo por isso uma forte referência na história industrial desta região.
Resta o edifício degradado com poucos vidros ainda intactos e com promessas constantes de investimentos.
A ver vamos o que o futuro nos reserva.

  1. A Zünder- und Apparatebaugesellschaft foi uma empresa alemã fundada por Fritz Neumeyer em Nuremberga, em 1917. A Zündapp foi uma das maiores fabricantes de motocicletas da Alemanha no período de 1917 a 1984.

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Associação Casa de Convívio "O Penico" em Alge, promove sardinhada de St.António

A todos os sócios amigos e simpatizantes, informa-se que mais um encontro seguido de almoço  (Sardinhada) vai ser promovido no próximo dia 14 de Junho na sede da Associação em Alge.
Para marcações da sua presença deve utilizar os seguintes nºs de telefone:
                                          919872555      -       966015594

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Aldeia de Campelo será visitada por membro do Governo no próximo dia 12 de Junho.

Acidentalmente "tropecei" nesta notícia, que não resisti à tentação de a partilhar com os meus leitores,e ajudar na sua divulgação,afinal temos que agradecer em boa parte aos "mexilhões", que em muito estão a contribuir para a divulgação e promoção desta singela aldeia remota e  muito esquecida pelos decisores políticos, pena é ,que os ilustres visitantes para além de poderem desfrutar de uma paisagem e hospitalidade invulgar, não possam simultâneamente aliar a visita técnica a uma experiência gastronómica a ser servida no restaurante do complexo...
Quanto à visita em si, e pela ausência de informação local deduzo que seja vedada ao público.
(Última actualização a 08-06-2014  15:00h)
http://www.quercus.pt/destaques/197-eventos-2/3682-visita-do-sec-estado-castro-neto-ao-posto-aquicola-de-campelo


Programa:

15:30 - Encontro no Posto Aquícola de Campelo (Localização: Longitude: -8.265893; Latitude: 39.998851)

15:40 -
 Intervenção do Presidente da Direcção Nacional da Quercus - Dr. Nuno Sequeira

15.50 -
 Intervenção do Coordenador do Projecto Life da Quercus, Paulo Lucas

16.00 -
 Visita ao Posto Aquícola, com explicação detalhada do funcionamento do Posto e das metodologias adoptadas de reprodução de peixes e bivalves, a cargo de Alexandrina Pipa (Quercus) e dos Drs. Joaquim Reis (IPM) e Carla Santos (CB-ISPA)

16.40 -
 Intervenção do senhor Presidente do Município de Figueiró dos Vinhos*, Jorge Abreu, e do senhor Presidente da Junta de Freguesia de Campelo, Eng.º Jorge Agria

16.50 -
 Intervenção do Sr. Secretário de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza, Professor Doutor Castro Neto

17.10 -
 Fim da visita

* - A confirmar

terça-feira, 3 de junho de 2014

Campelo já tem cabine telefónica pública

Tendo em conta vários sinais visíveis aos mais atentos,arriscaria dizer que se vive e respira um certo interesse crescente, na valorização e dinamização da Freguesia desde que o recém empossado executivo da J.F.C. iniciou funções.
No inverno passado,várias situações de árvores caídas por acção do vento preocupou o executivo, que de um modo célere, tratou de investigar e actuar rapidamente nos locais da Freguesia onde foi necessário, todos (ou quase todos) os aquedutos (canais de drenagem das águas pluviais)foram intervencionados de modo a ficarem funcionais,operação que já não era feita há vários anos,acções de remoção de ervas daninhas em todos os lugares da Freguesia,uma equilibrada e ordenada poda a várias árvores, que fez com que se regenerassem e ressurgissem com renovada energia ,que chegou a receber críticas que hoje se mostram infundamentadas ,reorganização dos cemitérios (correcto ordenamento das campas),intervenções diversas no âmbito de iluminação pública,e até a remoção dos pedregulhos de uma derrocada no Singral,são alguns factos dignos de menção.Todavia algumas iniciativas ficaram para trás como é o caso da requalificação do parque de merendas de Vilas de Pedro,que por erro de construção no passado, se encontra em elevado estado de degradação ,mas que não obteve apoio da Câmara Municipal e o orçamento da Junta não dá para tudo.
De uma forma sintetizada eis alguns aspectos que merecem o nosso respeito e admiração,a continuar assim, em Campelo vive-se o futuro no presente.



Hoje mesmo, foi também implantado um posto telefónico público no exterior do edifício da Junta de Freguesia ,desnecessário será dizer a utilidade que o mesmo possa ter,no entanto ,registámos com alguma surpresa que a PT achou que não merecíamos um equipamento novo, e decidiu ir ao ferro velho buscar um,e para que se enferruje ainda mais profundamente, não instalaram a típica protecção de acrílico que também serve de isolador acústico,a PT sempre ao seu mais alto nível em relação às populações do interior...